SPL: Kill Zone | Ação na medida certa compõem primeiro filme da série Sha Po Lang

Após os irregulares “Leaving Me, Loving You” e “The White Dragon”, ambos lançados em 2004, o diretor Wilson Yip decidiu (lá em 2005) abraçar de vez o gênero ação  — seus longas já flertavam com o gênero desde o início de sua carreira iniciada na segunda metade dos anos 1990. E que forma melhor de começar do que trazer grandes nomes do antes e do agora? Um dos grandes nomes do momento naquela época em Hong Kong, Donnie Yen (que vem ganhando notoriedade depois de ter participado do fraco Star Wars: Rogue One e da atrocidade xXx: Reativado), era o rosto certeiro para estampar os cartazes, carisma somado com habilidade em artes marciais, nada mais se espera de um ator de filmes de ação raiz. Não satisfeito, Yip ainda trouxe a lenda viva: Sammo Hung (Dragões para Sempre) para o papel de antagonista principal.

O filme marca o início não intencional da franquia de filmes SPL, que ganharia Spin-offs e uma continuação oficial dez anos depois. O nome original, Sha Po Lang, refere-se à três estrelas da astrologia chinesa, na qual cada uma delas representam destruição, conflito e ganância. Essas estrelas são representadas por Sammo Hung, Donnie Yen e Simon Yam. Nos E.U.A. (e em outros países de língua inglesa) o filme foi lançado com o desnecessário nome de Kill Zone. O mesmo ocorre no Brasil, que como já é de costume, tem um título que nada se assemelha com o original, nesse caso, ficou com o nome genérico de “Comando Final”.

Em 2003, Tony Jaa apareceu do nada com Ong Bak, veio à tona que outros países além da China poderiam fazer filmes com coreografias complexas e estonteantes. Durante uma entrevista para promover SPL, Donnie Yen revelou, que o filme se tratava de uma resposta ao hit tailandês, é como um “Hey, nós ainda sabemos fazer filmes de artes marciais com ótimas coreografias”, o mais feliz, é que eles realmente atingiram tal objetivo.

O início da trama é apresentada em um vai e vem no tempo, com os já típicos ‘letreiros’ exagerados compondo boa parte da tela para anunciar o elenco, e uma montagem no estilo telenovela. Felizmente o filme logo se desenrola, e esse prelúdio é abandonado, tem-se então: O policial e seu grupo de fiel seguidores, que caçam o bandido (Sammo Hung) e estão dispostos a coloca-lo atrás das grades, custe o que custar. Não é a sinopse mais original, mas quem se importa? Todo o resto é movido pela ação. A coreografia (feita por Donnie Yen) é o carro chefe do longa.

Mesmo que a ação mova a trama, ainda existem momentos de calmaria, Wilson Yip veio do drama para a ação desenfreada, essa bagagem mostra frutos, pois mesmo que bem dosadas, as cenas mais tranquilas ajudam a criar certa ânsia. Então quando a ação de fato começa, o contexto já está todo montado, aí é só sentar e apreciar a pancadaria.

Além do trio principal formado por Hung, Yen e Yam, SPL conta com a presença de Wu Jing (da franquia Wolf Warrior), como capanga de Hung. Se levarmos em conta apenas as lutas mano a mano, é notável uma dosagem, apenas duas grandes sequências compõem a trama, a primeira, em um beco, uma das mais impressionantes e famosas da filmografia de Donnie Yen, no confronto em questão, Yen vs Jing, é como assistir um combate real com armas brancas, o empenho dos atores é palpável, funcionando de forma espontânea. Foi um grande acerto filmar essa cena com os dois atores se enfrentando pra valer, por tanto, as reações capturadas pela câmera precisa de Yip são reais, claro que o confronto também alterna entre a coreografia precisa, mas é difícil distinguir, tamanha é a autenticidade dos movimentos. A segunda grande sequência, é o inevitável confronto final entre Donnie Yen e Sammo Hung, da qual não vale adiantar aqui.

Mesmo que não muito numerosas, as poucas cenas de ação são grandiosas, o mais é menos de fato se fez valer. As boas performances do trio principal proporciona momentos muito interessantes entre eles. Mesmo que Simon Yam perca a importância no decorrer da segunda metade, é justificável, uma vez que o ator não é um perito em artes marciais, coloca-lo para enfrentar Sammo seria pedir demais, cabe a ele manter o tom dramático e desesperado, um equilíbrio muito bem-vindo.

Avaliação: ★★★★ (Muito bom)
Duração: 1 hr 33 min (93 min)
Idioma: Cantonês
Elenco: Donnie Yen, Simon Yam, Sammo Kam-Bo Hung, Wu Jing, Kai Chi Liu
Diretor: Wilson Yip (Yip Wai Shun)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s